Skip to Content

EGOISTA - CARTAS

"Escrever uma carta é um meio de chegar a algum lugar sem mover nada, a não ser o espírito e - às vezes - o coração.
Não é, seguramente, a viagem mais expedita: no mundo em que vivemos, a imagem televisiva, a oralidade de um telemóvel tendem a subjugar o apego epistolar e o que para a escrita resta esvai-se, deteriorado, em truncadas mensagens de "SMS", na fria impessoalidade de "e-mails", na imprudente devassa do "Facebook".

Mas são escritos insensíveis, despojados de humanidade: anulam a caligrafia, maculam a ortografia, disfarçam a personalidade.

São, enfim, produtos massificados que nos transformam em incautos consumidores, sem filtro emocional para escrutinar intenções.
Só uma carta manuscrita pode transportar a mancha de uma lágrima, o odor de uma tinta perfumada, o hesitante vestígio de uma palavra corrigida, a marca de um anseio que nos escapa da alma e escorre pelo papel para ganhar vida própria só entre dois partilhada.
E assim como as chaves abrem cofres, as cartas podem abrir corações. ..."


 



artigos | by Dr. Radut