Skip to Content

RECEPÇÃO E EXPEDIÇÃO

Manuel Correia transporta-nos numa viagem através de fotografias de monumentos, arquitectura e paisagens nacionais tais como “Bom Jesus, Palácio de Pombal, Museu da Electricidade, Sé de Braga entre outras, e internacionais, tais como Mali, Benin, Moçambique, Malásia ou Índia. Segundo o fotógrafo, esta publicação é “o resultado de um percurso sem calendário nem roteiro”. A obra “é a expressão de uma forma eventualmente pouco articulada para alguns, da complexidade de um olhar muito pessoal sobre o que todos olham, sem verdadeiramente ver a familiaridade do que rodeia”.

No prefácio, Ir e Voltar de autoria de Laurinda Alves, esta confidencia que com o fotógrafo atravessa “paisagens primordiais, montanhas de gelo branco, que maravilham e confundem. Que deixam sem certezas de nada, sem norte nem sul, apenas com a esperança de surgir mais além”. Pode ler-se ainda “Gosto da amplitude dos horizontes e da lentidão dos movimentos capturados por Manuel Correia. E gosto do silêncio num tempo dividido”. Ainda segundo Laurinda Alves, Manuel Correia, fotografa “as pessoas e os lugares, as coisas e os momentos, a luz e a sombra com paixão e perfeição”. São setenta e seis as fotografias que nos apresentam a sensibilidade e o prazer que o fotógrafo coloca na sua obra. A não perder.



artigos | by Dr. Radut