Skip to Content

ROOF-MAGAZINE

“O corpo humano, esta substância que nos define e nos torna perceptíveis ao Outro, este objeto que carregamos e nos transporta consigo, esta forma que nos enforma, este conceito alterado constantemente pela história, esta categoria socialmente concebida, que o número 4 da ROOF Magazine se propôs expor, numa descoberta sempre nova dos seus limites, ampliações, formações e deformações.

Se a evolução da sociedade é responsável por diferentes construções do corpo, pelas suas diversas conceções e atualizações, a representação social contemporânea dá-nos o corpo como matéria modelável, como objeto de culto, como substância aperfeiçoável cirúrgica e geneticamente, como ser mutante, como um híbrido de corpo e máquina, ou ainda como entidade aniquiladora, nos corpos-bomba do terrorismo.

Espaço do erótico e da paixão, mas igualmente da degenerescência, da finitude, da destruição, o corpo, nas múltiplas aparências que o configuram, nos seus gestos sinuosos e assertivos, nos seus movimentos líricos e exultantes, é matéria estética e fecunda, que sempre se entrega para se expandir em vida.”
 



artigos | by Dr. Radut